Regulação definirá tipos de serviços de recarga de veículos elétricos

De acordo com o relator do processo na Aneel, Reive Barros, a intenção é não criar "reserva de mercado" e deixar que empresas busquem formas de remuneração.

 

A audiência pública que discutirá a recarga de veículos elétricos no Brasil deve resultar em uma regulação que definirá os tipos de serviços prestados e determinará a comunicação constantes dos operadores dos postos com a Aneel. A informação é do relator do processo na agência reguladora, o diretor Reive Barros.

“Apesar de entendermos que as distribuidoras têm toda condição de prestar este serviço, por já ter a estrutura e o conhecimento, não queremos fazer reserva de mercado”, diz o diretor.

Ele cita como exemplo montadoras que decidam incentivar o desenvolvimento da tecnologia ampliando a infraestrutura de recarga. Outro exemplo seriam empresas que invistam em frotas de veículos elétricos para serviços de compartilhamento de carros. Ou shoppings que possam decidir instalar a infraestrutura como um serviço adicional para seus clientes.

Ainda segundo Barros, não há intenção na Aneel de definir tarifas para a prestação desse serviço. “A princípio, o custo será o mesmo. Se você é um cliente residencial e faz a recarga na sua casa, pagará por essa tarifa. A nossa preocupação é não criar um subsídio cruzado”, explica  diretor.

Barros participou, nesta quarta-feira (24/05) do lançamento do caderno sobre Veículos Elétrico da FGV Energia, no Rio de Janeiro.

Fonte: Brasil Energia